Nas últimas convenções de games um título estava levantando grandes expectativas: Cuphead!

Confira também: RO: Idle Poring (jogo mobile de Ragnarok Online) | Primeiro Gole

Cuphead foi feito por dois irmãos (Chad e Jared Moldenhauer) que largaram seus empregos e hipotecaram a casa para se dedicar totalmente ao projeto de um jogo baseado nas animações dos anos 30.

O projeto, ambicioso, seria um desastre se não fosse feito com maestria. Mexer com algo que é tão amado por todos, e com o forte elemento da nostalgia poderia gerar mais repercussão negativa do que positiva, porém, Cuphead demonstrou ser tão bom quanto todos esperávamos, e é um dos lançamentos mais sensacionais do ano!

Cuphead, Studio MDHR (Imagem Dvulgação)

Elementos nostálgicos

Produzido inteiramente no estilo Gato Félix, Popeye, Mickey e seus amigos, o projeto é uma verdadeira obra de arte que reúne todos os elementos nostálgicos de outros jogos que tanto amamos como Super Mario e Donkey Kong Country.

A premissa é baseada em dois irmãos, Cuphead e Mugman que resolvem apostar no Cassino no Diabo, porém, acabam perdendo suas almas para o próprio capiroto.

Desesperados em tentar se salvar eles fazem um “trato”, se os dois conseguirem recuperar as almas de alguns outros indivíduos talvez eles possam fazer uma troca e sair ilesos. Assim, com sua nova missão, os irmãos parte pelo mapas e ilhas enfrentando fases e chefões.

Cuphead, Studio MDHR (Imagem Dvulgação)
Cuphead, Studio MDHR (Imagem Dvulgação)

Um jogo difícil?

Lendo algumas reviews muitos estão chamando de “O Dark Souls de plataforma 2d” – o que eu discordo completamente. É muito comum que as pessoas usem essa comparação com Dark Souls quando um jogo é um pouco mais difícil, que é o caso de Cuphead, mas nem de longe a comparação é válida.

Cuphead é um pouco difícil? Sim, mas nada tremendo, na verdade, o jogo só parece difícil porque estamos acostumados com os atuais jogos do gênero que são criados para não exercerem nenhum tipo de empecilho ao jogador, por sua vez, Cuphead apresenta a mesma dificuldade que teriam os jogos de Super Nintendo para nós na infância. Desafiador? Um pouco, mas nada que três ou quatro tentativas não deem um jeito.

Cuphead, Studio MDHR (Imagem Dvulgação)

Chacoalhados em uma máquina do tempo!

E a sensação que temos ao jogá-lo é justamente a de estarmos sendo chacoalhados em uma máquina do tempo e voltarmos aos anos 90 com nossos consoles de fita. Tudo, absolutamente TUDO, no jogo é feito com excelência: Gráficos, sons, jogabilidade, personagens, história… Cuphead mostra mais uma vez como bons jogos não necessariamente partem de grandes corporações.

Por último, mas não menos importante, é sempre bom lembrar a semelhança que o jogo nos traz com Mega Man no estilo ande e saia atirando em tudo que você ver pela frente, porque acredite, vai precisar.

O jogo ainda sem tradução para português-br, está disponível para Xbox One, mas também pode ser adquirido na GOG, na Steam pelo valor de R$ 36,99 ou versão Deluxe de R$ 55,99 que inclui, além do jogo, a trilha sonora original.

Site oficial do Studio MDHR

COMPARTILHAR
Artigo anteriorManifesto | Review
Próximo artigoJedicon 2017 | Especial Cosplay
Doka

Bibliotecária, especialista em conservação de histórias em quadrinhos, pesquisadora na área de educação, princesa da Disney e apaixonada por Sailor Moon a mais de 20 anos.