Porque todas as temporadas tem ao menos uma série de anime feita pro pessoal Diferentão E Hipster se sentir contemplado, e eu digo isso me considerando parte desse pessoal.

ACCA: Departamento de Inspeção dos 13 Distritos

ACCA: 13-Territory Inspection Dept. ou ACCA 13-ku Kansatsu-ka (subtítulo acima em tradução livre), conta a história de um reino chamado Dowa que possui 13 distritos, cada qual com suas próprias prioridades e agendas – de forma análoga a um sistema federalista como o dos Estados Unidos.

A organização ACCA controla e inspeciona todos os distritos. Jean Otus é um dos comandantes da ACCA, e é também um inspetor que sai viajando por todos os 13 distritos ao longo dos 12 episódios do anime.

Aventura e Exploração

O anime mistura, assim, uma coisa de sightseeing, aventura, jornada de exploração que é reminiscente de um Kino no Tabi ou Michiko to Hatchin; o espectador acompanha o protagonista Jean em sua viagem por 13 distritos bem distintos e interessantes e, de quebra, percebe o que levou cada um deles ao estado em que chegou.

Além dessa caracterização dos distritos, a mistura envolve jogos políticos dignos de qualquer Code Geass ou Legend of the Galactic Heroes da vida – ainda que devidamente reduzidos de forma a caber em 12 episódios, – e reflexões sobre a própria natureza da política ao espectador atento.

Ritmo

Ainda assim, apesar de curto, demora a engrenar; desde o começo parece promissor, mas a sensação de nada acontece é forte até o episódio 8, em que as coisas começam a finalmente fazer sentido.

Assim, é aquele anime que provavelmente melhora da segunda vez que você assiste já sabendo de algumas coisas, que tende a subir no conceito apenas no final e que lhe permite refletir depois. O que é o justo: que os privilegiados percam todos os seus privilégios para os desprivilegiados, ou que os privilégios sejam mantidos de forma a preservar a estrutura social mas melhor distribuídos, de maneira equitária? Nesse sentido, ACCA é quase um Política For Dummies que nos apresenta a resposta óbvia de forma didática. O ritmo deixa a desejar, e o ar de pedância para uma conclusão tão óbvia afasta os que vão esperando demais. Se não, tende a entreter.

Reviravoltas 

Com uma reviravolta aqui e acolá, alguns personagens bastante simples porém adoráveis – desde o badass Jean, passando por seu amigo de infância Niino até a adorável Lotta – ACCA nunca se mostra excepcional mas sempre se mantém acima da média. Tem uma apresentação bem interessante com um colorido, character design e cenários únicos e bem modernos, e músicas interessantes – a abertura deverá ficar na sua cabeça por um tempo! – e não decepciona nesse departamento.

Apesar dos pesares, é uma experiência que se torna ótima e que termina em um saldo positivo. Eu recomendaria ACCA às pessoas sedentas por anime diferente do comum, que não faz questão de agradar otaku de forma alguma e que não dispensam uma história sobre papeis sociais, jogadas políticas e sacadas inteligentes.